2 de set de 2017

Um convite à visita ao EU

Esses dias, eu comecei a ouvir qualquer coisa no micro, enquanto realizava outras atividades, até que essa 'qualquer coisa' começou a me prender a atenção pelo tema, que era um convite, digamos assim, à interiorização, a visita ao EU.

Que Deus nos deu o livre arbítrio é fato. Não tem essa de que Deus quis assim ou assado! Deus não faz pegadinha com ninguém. Ele nos deixa à vontade para fazermos aquilo que bem entendemos. Logo, nós estamos exatamente onde buscamos estar. Você, que lê esse post agora, está vivenciando essa fase da sua vida, porque você buscou estar aí, seja o momento bom ou ruim.

Não adianta fazer teatro para a vida, porque ninguém consegue interpretar um papel a vida inteira.Ser autêntico (a) é libertação. Vou exemplificar!

Uma senhora casou, teve filhos, montou o lar ideal. E um dia, desempregada, resolveu iniciar o seu próprio negócio, na informalidade, em casa, para ajudar a compor o orçamento. Ela tinha tudo para dar certo, mas não avançava, não ia pra frente nos seus negócios. E mesmo sem entender os motivos que a impedia de progredir, ela tocava o barco do jeito que dava, aos trancos e barrancos.

Qual a moral da história nesse caso? Ela renegou o seu próprio EU, ao montar um lar ideal, como manda o figurino, para a sociedade, mas que não tinha nada a ver com ela. A sua frustração, que talvez ela nem tenha se dado conta, hoje se reflete  no seu empreendimento. Essa criatura de Deus não nasceu para ser uma mulher convencional, classe média, ela nasceu para voar, para sair por aí fazendo qualquer coisa que não fosse semelhante a essa vida. Mas ela escolheu estar ali. E então, ela não pode dizer que foi Deus quem quis assim, entendeu? Ela buscou! E pra sair dessa, só se mostrando como ela realmente é, sem teatro, sem interpretar papel.

As doenças se manifestam quando nos distanciamos da nossa verdadeira essência. Tem gente que fuma até os 100 anos e morre porque caiu da escada. Há os que nunca fumaram e estão na fila de transplante. Como explicar isso?

Já que estamos falando das vias respiratórias, há vários fatores emocionais ligados aos problemas respiratórios, mas num sentido amplo, a tristeza, o choro contido podem levar a problemas nessa parte do corpo.

Então, nós somos responsáveis por tudo o que acontece com a gente? Exato!

E como alcançar a cura? Fazendo uma viagem ao interior para ouvir o próprio EU. Não é fácil, é doloroso, mas quem consegue se liberta! Eu venho tentando! E espero que você também tente!

Tá bem?

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário